sábado, 31 de dezembro de 2016

Feliz 2017!



Feliz Ano Novo! - Imagens para Facebook e blogs

Que Deus em sua infinita bondade abençoe e encha de paz
os nossos corações em todos os dias do ano novo!

São os votos de



Carlos Pereira - O Manancialzinho



quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O Natal para os Espíritas



O Natal para o espírita é aquele momento em que se é atingido pela mensagem evangélica, permitindo a Jesus nascer em nossos corações.

O Evangelho Segundo o Espiritismo afirma que o mais importante é o ensinamento moral de Jesus, pois não se sujeita a controvérsias e nos oferece verdadeiramente a ciência da vida.

Jesus está sempre falando conosco, incentivando-nos a amar cada vez mais o nosso próximo, a exercer a prática da caridade, independentemente do modo como somos tratados, porque senão que vantagem haveria em amarmos somente aqueles que nos amam?

Na noite em que o mundo cristão festeja o nascimento de Jesus, os espíritas devem lembrar-se do nascimento da Doutrina Espírita. A lei da reencarnação é fundamental para o entendimento do sofrimento e da dor.

De acordo com a reencarnação ou a diversidade de vidas sucessivas, podemos vislumbrar o nosso futuro que é uma continuidade dos atos que praticamos nesta vida.

Optando pela prática do bem, teremos uma vida futura feliz; caso contrário sofreremos as consequências pelo que praticamos, no sentido de nos adaptarmos à lei do progresso, que é inexorável.

No Natal, hoje e sempre, sigamos o exemplo do Cristo, praticando a caridade e o amor pelo próximo, indistintamente.

Ele é como o Sol afasta as sombras e vivifica com luz e calor.

Pensa Nele, inspirando-te no teu labor revolucionário de dentro para fora. Nunca O esqueças, seja qual for a situação em que te encontras.

Neste Natal, permite que o amor de Jesus te irrigues o coração e vertas em direção daqueles para os quais Ele veio, os nossos irmãos sofredores da Terra.

Faze mais: deixa-O renascer na tua alma e agasalha-O, para que Ele siga em ti e contigo, por todos os dias da tua vida.

Sociedade Beneficente Espírita Bezerra de Menezes

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Sempre é Natal

O amor é a tônica que faz com que o natal de Jesus seja para sempre morada em nossos corações.


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Celeste Aniversário



E eis que o dia chega outra vez. E outra vez nos fala de amor, de esperança.

É o aniversário do Ser mais importante que a Terra já agasalhou. Rei das estrelas, Governador de nosso planeta, Rei solar.

Cristo de Deus, o ungido. Os homens Lhe adivinham a existência, desde tempos recuados. Mais de uma vez, pela Sua grandeza, foi confundido com o próprio Deus.

No entanto, esse Ser especial, nosso Mestre e Senhor, veio habitar entre nós. Quando tantos reclamamos do planeta em que nos encontramos, das condições adversas em que se vive, o Rei solar tomou de um corpo e aqui nasceu.

Nasceu indefeso, entregando-Se aos cuidados de uma jovem mulher. Foi seu primeiro filho.

Quando alguns apontam a inexperiência das mães de primeira viagem, Ele não temeu Se entregar aos cuidados de alguém que não concebera anteriormente.

Nem mesmo temeu por ela ser jovem. Entregou-Se, tanto quanto confiou em um homem a quem, durante os anos da infância e adolescência, honrou e chamou amorosamente pai, a ele Se submetendo.

E permitiu-Se ilustrar na lei hebraica, na História de um povo sofrido, embora soubesse muito mais e além da ciência e da justiça dos homens.

Senhor e Mestre, escolheu uma noite silenciosa, quase fria, para estar entre os Seus irmãos, Suas ovelhas, Seu rebanho.

Pediu ao Grande Pai que, para atestar a Sua chegada, enchesse de estrelas os céus. Tudo porque Ele, a luz do mundo, chegava ao planeta, para estar com os Seus mais demoradamente.

Solicitou ainda ao Pai Celeste que enviasse um mensageiro às gentes simples, ao encontro das quais Ele vinha, para lhes dizer que Ele nascera.

E que os aguardava, pobre e pequenino, numa manjedoura, resguardado pelo amor dos pais, envolto em panos.

E uma estrela de brilho inigualável pairou no céu, chamando a atenção de ilustres estudiosos, que aguardavam o sinal especial para seguir ao encontro do Rei.

Recebeu a visita dos pastores e dos magos do Oriente, a uns e outros ofertando o Seu sorriso, assegurando-lhes que Ele viera. A esperança estava no meio dos homens.

Serviu na carpintaria, nas estradas da Galileia e da Judeia.

Realizou proezas inimagináveis, devolvendo a vista a cegos, a audição a surdos, movimentos a membros paralisados, saúde a corpos enfermos.

No lago de Genesaré, em plena natureza, dedilhou as mais belas canções que o amor pode conceber.

Vinde a mim, vós todos que estais fatigados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo que é suave e o meu fardo, que é leve.

Quem toma da água que ofereço, jamais terá sede. Vinde a mim...

Sua voz era de ensino, de alegria e de esperança.

Quando tantos se rebelavam contra a escravidão a que eram submetidos, Ele ensinou que a liberdade está acima e além de questões materiais.

Ensinou-nos a sermos livres, na consciência, no dever cumprido, na retidão, sem nada que nos detenha na retaguarda das dores.

Mestre e Senhor. Mestre da sensibilidade, do amor e da sabedoria. Senhor da Terra. Nosso Pastor.

Ele veio. Que neste Natal O lembremos outra vez e unamos as nossas vozes às dos Mensageiros Celestiais:

Hosana ao Senhor da vida! Ave, Cristo! Os que desejamos estar contigo, Te recordamos a glória augusta e Te pedimos luz, paz e bênçãos.

Sê conosco, Celeste menino, hoje e sempre.

Redação do Momento Espírita.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Canção de Natal: Na Manjedoura

A canção espírita infantil, “Na Manjedoura”, ressalta a lição da humildade em torno do nascimento de Jesus, o nosso Mestre maior.


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Algo mais no Natal



Senhor Jesus!
Diante do Natal, que te
Lembra a glória
Na manjedoura,
Nós te agradecemos:
A música da oração;
O regozijo da fé;
A mensagem de amor;
A alegria do lar;
O apelo à fraternidade;
O júbilo da esperança;
A bênção do trabalho;
A confiança no bem;
O tesouro de tua paz;
A palavra da Boa Nova,
E a confiança no futuro!...
Entretanto, ó
Divino Mestre!
De corações voltados
Para o teu coração,
Nós te suplicamos
Algo mais!...
Concede-nos, Senhor,
O dom inefável
Da humildade para que
Tenhamos a precisa
Coragem de
Seguir-te os exemplos!

Emmanuel

sábado, 17 de dezembro de 2016

Happy Santa



Ajude ao Papai Noel a distribuir presentes para as crianças em seu trenó e acumule pontos nesse jogo divertido de natal.

Clique na imagem para jogar.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Um Presépio Vivo



Francisco costumava andar muito, de cidade em cidade, por toda a Itália, oferecendo-se como um instrumento de paz entre todos os seres. Procurava levar a união onde havia a discórdia, ensinar o perdão onde sentia a ofensa, a alegria onde reinava a tristeza, a esperança onde só havia desespero e a luz onde as trevas haviam tomado conta. Em um determinado inverno, Francisco estava em uma cidade perto de Assis, durante a época em que se comemora o Natal, o nascimento de Cristo. Sentiu que poderia realizar uma celebração especial, e teve a ideia de encenar o nascimento de Jesus como havia acontecido. Pediu ajuda para um amigo seu, morador daquela cidade, que lhe arrumou uma manjedoura, um boi e um burrinho. Francisco queria fazer a encenação de como Jesus havia nascido, em uma caverna que ficava no alto da montanha ao lado da cidade. A notícia deste evento se espalhou por toda parte, e na noite de Natal, vieram camponeses de muitas aldeias e cidades da região.

Todos levavam tochas e cantavam músicas para comemorar o nascimento de Jesus Cristo. Francisco, que já estava na gruta com seu amigo João, com o boi e o burrinho, assistia emocionado à subida daquelas pessoas simples que demonstravam tanta fé e devoção. A montanha ficou repleta de camponeses, carregando tochas acesas, em um canto fervoroso que se espalhou por todos os vales da região. Quando Francisco começou a falar, todos ficaram em silêncio. Sua fala era tão doce e suave que parecia o próprio Jesus. Suas palavras surgiam espontaneamente, pois Irmão Francisco vivia sintonizado com o Senhor do Universo.

De repente, uma luz muito forte entrou pela caverna e desceu sobre o berço preparado na manjedoura. Dessa luz, surgiu o menino Jesus de verdade. Inebriado de tanta alegria, Francisco de Assis levantou a criança nos braços para mostrar a todos aquele divino milagre que comprovava a existência de uma força muito maior guiando o Universo. Até mesmo o boi e o burrinho pareciam compreender o que estava acontecendo e assistiam a tudo em profundo silêncio e reverência. Com muito cuidado, Irmão Francisco colocou novamente a criança em seu berço. A luz e a criança desapareceram, restando apenas a magia do divino espetáculo. A montanha inteira ardia com o calor das tochas e dos corações dos homens que, junto com aquele santo homem, puderam presenciar, ao vivo, como havia sido o nascimento de Jesus. Francisco de Assis terminou a encenação, dizendo: – Queridos irmãos, hoje assistimos a um milagre de amor. Desejo que vocês espalhem esse amor a todos, e também aos nossos irmãos animais que recepcionaram Jesus em sua chegada à Terra e souberam compartilhar seu calor e sua casa com ele. Terminada a cerimônia, todos foram embora e Irmão Francisco ficou sozinho, entre o boi e o burrinho, acariciando-os, conversando com eles na linguagem de seu coração. Irmão Francisco foi a primeira pessoa que teve a ideia de encenar o nascimento de Jesus. E esta história deu origem ao presépio com que hoje enfeitamos nossas casas para o Natal.


Do livro Francisco, O Herói da Simplicidade, de Ligia Miragaia, Maeve Vida

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Jesus, a História do Nascimento



Vocês sabem que é Deus? Nosso Pai e Criador de todo o universo. Pois então quando Deus criou nosso Planeta, o Planeta Terra, lá no Universo muito tempo se passou, e o planeta continuava se transformando. Então, há mais de 2.000 anos havia muitas pessoas vivendo no Planeta e Deus enviou um Presente para o nosso planeta e para nós.

Toda a Terra estava muito bonita, com muita alegria e felicidade. Entre essas muitas pessoas que habitavam nosso planeta havia o carpinteiro José e sua esposa Maria, que era uma moça muito bondosa.

Um dia, ela foi informada por um anjo (Espírito Celeste - superior já bem evoluído) que Jesus ia nascer e que ele teria uma linda missão aqui na Terra. E Jesus foi crescendo na barriga de Maria. José também recebeu, em sonho, a informação de que o menino que Maria estava esperando em sua barriga deveria se chamar Jesus.

Quando estava perto dEle nascer, Maria e José tiveram que fazer uma viagem! Deveriam ir para Belém. E assim eles foram, Maria no Burrinho e José. Andaram muito até chegar a Belém. Quando chegaram lá, já estava quase na hora de Jesus nascer!

Foram procurar um lugar para se hospedar, mas todos os lugares estavam cheios! Muitas pessoas também tinham que ir a Belém! José e Maria estavam preocupados, já estava quase anoitecendo! Então eles se abrigaram em uma gruta, que era utilizada por pastores para passar a noite e agasalhar os animais, uma estrebaria.

Estava uma linda noite! Muitas estrelas brilhavam no céu! E sobre a gruta, havia um brilho muito forte! Muitos Espíritos celestes ali estavam auxiliando José, Maria e Jesus! E nessa noite tão linda e tão especial, nasceu Jesus! Maria o vestiu e arrumou a manjedoura (o lugar onde os animais se alimentam) para servir de bercinho para o bebê Jesus!

E então, Jesus nos ensina uma das suas maiores lições: a humildade! A humildade é a chave de todas as virtudes! Jesus recebeu visitas nessa noite! Os Magos foram visitá-lo e levaram presentes para Jesus. Um Espírito Celeste apareceu para os Pastores e convidou-os a visitar Jesus! E hoje, os Espíritos Celestes nos convida: Venham! Nasceu Jesus! O enviado de Deus para nos ensinar a amar! Que alegria! Venham!

Jesus cresceu em Nazaré e aprendeu a ser carpinteiro como o pai. Era um menino educado e ajudava a mãe nas tarefas domésticas. Jesus aprendeu a ler e a escrever e estudou as escrituras na Sinagoga de Nazaré.

Seara Espírita Infantil

sábado, 3 de dezembro de 2016

Eterno Natal!



Quão bom que à paz pairasse no ar,
Inspirando a vida de todo ser humano,
Em todo canto da terra, além-mar,
Semeando a ternura no quotidiano...

Plantando n'alma, um eterno natal!...
Semeando e colhendo, à paz de Jesus,
Criando um mundo sem conflitos: real,
Iluminado pelo resplendor da sua luz.

Assim; co' o eterno espírito natalino,
Cada um seria amável em seu interior:
Todo irmão doando um afeto cristalino...

Compartilhando às bençãos do Criador,
Que através do filho, Jesus menino,
Mostrou-nos o seu imensurável Amor.

Elias Akhenaton

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

As mais Belas Orações



Sinopse do Livro:


Aqui estão reunidas orações da tradição cristã para que possamos fazer delas nossas próprias orações.

Autor: Lois Rock, Editora: Paulinas

terça-feira, 29 de novembro de 2016

A Bíblia e os Livros Edificantes



A Bíblia é um conjunto de livros escritos em diferentes tempos, por diversos autores. A Bíblia católica é formada por 73 livros enquanto que a Bíblia dos evangélicos tem 66 livros. Ela é dividida em duas partes: antigo testamento (escrito antes de Jesus) e novo testamento (escrito após Jesus). Cada livro é dividido por capítulos e por versículos, de maneira que fica fácil a localização dos textos. Os Espíritas devem estudar e analisar as escrituras sagradas.

O Antigo Testamento apresenta a origem da criação do mundo, a história do povo hebreu, com seus costumes e suas leis civis. Relata também o recebimento dos dez mandamentos por Moisés (1º revelação da lei divina) e a vida dos antigos profetas. O Novo testamento é composto por quatro evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João) que relatam os ensinos de Jesus (2º revelação da lei divina). Além disso, contém os atos dos apóstolos após a morte do Divino Mestre, as cartas do apóstolo Paulo de Tarso e de outros discípulos e o último livro da Bíblia, Apocalipse, escrito pelo apóstolo João.

O conhecimento do Antigo Testamento é de fundamental importância para se compreender o Novo Testamento. O antigo Testamento é a base da Revelação Divina. No entanto, devemos observar que tudo o que se contém na Bíblia, em contraposição ao Decálogo, não é e nem poderia ser de origem divina.

Moisés era médium, assim como os demais profetas que previram a vinda do Messias. Ele recebeu a primeira revelação das leis de Deus (O Decálogo) através dos mensageiros de Jesus, para mostrar aos homens quais são seus deveres para com os semelhantes e para com Deus. Jesus, sendo o Messias Divino, recebeu a palavra diretamente de Deus, com a missão de revelá-la aos homens.

A importância do Evangelho de Jesus, em nossa evolução espiritual, é semelhante à importância do Sol na sustentação de nossa vida física. No entanto, muitas passagens do Evangelho, da Bíblia, e dos autores sagrados em geral são de difícil compreensão, e muitas mesmo parecem absurda por falta de uma chave que nos dê o seu verdadeiro sentido. O Espiritismo (3º revelação da lei divina), pois, é a verdadeira chave para a compreensão do Antigo e do Novo Testamento. A doutrina Espírita desenvolve, completa e explica, em termos claros para todo mundo, o que havia sido dito de forma alegórica (simbólica) por Jesus.

A Bíblia e os livros edificantes da Doutrina Espírita nos auxiliam a viver e acertar em nossas escolhas. Revelam-nos o passado e preparam-nos para o futuro. O Evangelho de Amor é, sem dúvida, o Livro Divino em cujas lições podemos encontrar a libertação de todo o mal. O livro espírita é sempre um amigo disponível para dialogar conosco, ensinando-nos o melhor caminho para a aquisição da paz e da felicidade que desejamos encontrar. Ajuda-nos no entendimento de nós mesmos e na compreensão do próximo. Dá-nos coragem para o trabalho, e humildade no caminho da experiência.

O livro edificante vacina a nossa mente contra o mal. Todo livro digno de apreço é realmente um presente de Deus à Humanidade para que os grandes instrutores possam clarear o nosso caminho, conversando conosco, acima dos séculos e das civilizações. Que seria do mundo sem a bênção do livro? Se não fosse a cooperação do livro, que seria da religião, da ciência, da filosofia, da política, da técnica industrial, da arte e da socialização? Devemos cuidar bem do livro, assim como cuidamos de um bem precioso, pois ele é o nosso companheiro iluminado e instrumento de educação moral e intelectual.

O livro espírita é sempre o nosso melhor amigo nos caminhos da elevação. Adquiri-lo é importante. Lê-lo é imprescindível. Estudá-lo é sabedoria. Divulgá-lo é dever.

Agradeçamos a Deus pela bênção da Bíblia e dos livros edificantes, que nos esclarecem e instruem.

Fabiana F. Freitas (Aulas para Evangelização Infantil Espírita)

domingo, 27 de novembro de 2016

Um Mundinho para Todos

Vídeo do Varal de Histórias com a história “Um Mundinho para Todos”, de autoria de Ingrid Biesemeyer.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Os Balões



Um grupo de 500 pessoas participavam de um seminário, quando de repente, o palestrante parou e decidiu fazer uma atividade em grupo. Foram então distribuídos um balão a cada pessoa.

Cada integrante foi convidado a escrever o seu nome no seu balão com uma caneta. Em seguida, todos os balões foram recolhidos e colocados em uma outra sala.

O palestrante instruiu as pessoas que entrassem na sala onde estavam os balões e que cada um achasse o balão com o seu respectivo nome. Esta tarefa deveria ser feita em 5 minutos.

Todos procuravam desesperadamente o balão com o seu nome, empurrando e batendo-se uns nos outros, um caos total, sem concluírem a tarefa.

O orador então pediu que cada pessoa pegasse um balão aleatoriamente e desse para a pessoa cujo nome estava escrito.

Em poucos minutos, todos estavam com o seu próprio balão.

Em seguida o orador falou: “Isso está acontecendo em suas vidas. Todos estão desesperadamente procurando a felicidade ao redor, sem saber onde ela está. Nossa felicidade está na felicidade das outras pessoas. Dê-lhes a sua felicidade e você vai ter a sua própria.”

E esse é o propósito da vida humana … a busca da felicidade!

Autor desconhecido

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Religião e Religiosidade



Cada religião é uma doutrina filosófica específica, embora todas versem basicamente sobre a relação entre as criaturas humanas e o seu Criador. Cada uma tem seus próprios pontos de vista doutrinários. É revelada de fora para dentro. Tem estruturas definidas, preceitos, dogmas, determinações.

A Religiosidade: É uma só (embora possa se manifestar de maneiras diferentes) e consiste simplesmente na interação entre cada criatura humana e o seu Criador, sem a obrigatoriedade do concurso dessa ou daquela religião.

Em outras palavras, a Religiosidade pode ser a ligação do ser humano a Deus.

- A religião é um meio e não um fim. O fim/finalidade é a nossa conexão com a divindade, com o sagrado.

- Experimentamos a religiosidade, ou seja, nos sentimos religados ao Criador, em situações diversas, independente de estarmos num templo.

- É a busca de sentido em tudo que existe, em tudo que fazemos.

- Religiosidade: escolher o caminho do amor para nos ligarmos à presença divina que está em tudo. Estar ligado a Deus em nossa vivência cotidiana através da experiência de Deus que fazemos no íntimo de nosso coração.

- A prática religiosa pode facilitar esse processo de ligação: Fortalecimento espiritual e psicológico.

União com outras pessoas, formação de laços.

Vinculação a um ideal de amor, de bem, de religare.

Manter um padrão de equilíbrio.

Auxilia na formação de valores para a vida...

- Mas precisa ser um exercício de amor e de verdade.


Fonte: Trechos do livro “O Homem Integral”, de Joanna de Ângelis.

domingo, 13 de novembro de 2016

Proclamação da República (Jogos)



Diversos jogos educativos em homenagem a Proclamação da República e ao Dia da Bandeira.

Clique na imagem para jogar.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Se (Poema Triste)



Tristes olhos
Se não vislumbram vida
Tristes dedos
Se não tecem laços
Tristes mãos
Se não afagam os que choram
Tristes ouvidos
Se não escutam os pássaros

Tristes lábios
Se não proferem consolo
Tristes lágrimas
Se não são felicidade
Tristes pés
Se não levam a esperança
Tristes braços
Se não são abraços

Amara Luzia
Psicografado por Carlos Pereira

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

A Importância do Estudo



Através do estudo progredimos.

A criança da cidade precisa prestar atenção nas aulas e fazer os exercícios para poder, depois, adquirir novos conhecimentos que vão ajudá-lo a ter uma profissão, ser útil e contribuir para o progresso.

Assim também, a criança da aldeia indígena precisa aprender os costumes da tribo, as tradições, para contribuir para o bem-estar de todos do grupo.

Estudar é importante, porque através do estudo progredimos.

Temos de aprender também a respeito de um conhecimento comum a todos os povos: o amor porque através dele, a vida se torna melhor.

Fonte: Evangelização Anália Franco

sábado, 5 de novembro de 2016

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Amalia Domingo y Soler



Notável escritora, oradora, intelectual e polemista, congnominada, por aqueles que a conheceram e a admiraram, como a "Poetisa das Violetas"; encarnou em Sevilha, Espanha, no dia 10 de novembro de 1835; desencarnou, com 73 anos de idade, em 29 de Abril de 1909, a uma hora da madrugada, uma quarta-feira.

O personativo correto de Amalia é Amalia Domingo y Soler; é com "Y", sustentava Teixeira de Paula, e não como se vê em alguns autores, quer nacionais, quer estrangeiros: Amalia Domingo Soler; e não obstante, ela mesma, assim assine.

Grande dama e paladina do movimento espírita ibero-americano, Amalia Domingo Y Soler se fez muito admirada no Brasil, através da obra "Fragmentos das Memórias do Padre Germano".

Quase cega desde o berço, conseguiu, não obstante, com o seu denodo e a sua pena, elevar o nome do Espiritismo e da mulher espírita na Espanha.

Começou a escrever com apenas 10 anos de idade e aos dezoito publicou as suas primeiras poesias.

Seu contato com o Espiritismo deve-se a um médico, que a possibilitou ler "El Critério", um periódico espírita publicado pela Federação Espírita Espanhola, e para o qual - também nos lembrou o Arquiteto Cícero Pirondi - enviou uma poesia, em 1872, e publicou o artigo "El Espiritismo es la Verdad".

Fonte: Biografias Espíritas

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Família Espírita



Sinopse do Livro:


O livro apresenta situações vivenciadas por uma família que vive em harmonia e de acordo com os preceitos da doutrina espírita, possibilitando estabelecer um rico diálogo entre pais e filhos sobre o evangelho de Cristo, auxiliando a instrução evangélico espírita.

Autor: Espíritos Diversos
Médium: Ivonne do Amaral Pereira
Editora: FEB

domingo, 30 de outubro de 2016

Os Espíritos Bons (Características)



  • Os Espíritos Bons gostam de proteger os Homens e de fazer o bem;
  • Existem diferentes Espíritos Bons, alguns possuem mais conhecimentos científicos outros mais conhecimentos morais;
  • Todos os Espíritos bons praticam a bondade;
  • Eles ainda possuem ligação com a matéria, são Espíritos de uma Luz muito grande. Ex: Meimei, Bezerra de Menezes (Médico), Chico Xavier (Médium);
  • Quando encarnados, o que é uma exceção, eles não são orgulhosos, egoístas, ambiciosos, praticam o bem em favor do próximo. Vem como um exemplo a ser seguido.


Fonte: Evangelização Espírita Infantil – Paula Andrade

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Octo



Um jogo para crianças repleto de níveis destinados ao treinamento de raciocínio.

Clique na imagem para jogar.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Sorriso de uma Criança!



Como é meigo o sorriso de uma criança!
Singelo, igual ao de um anjo querubim
Luz de Deus numa eterna esperança
Num mundo de paz, belo como jardim.

O sorriso de uma criança é verdadeiro
Puro e cheio de ternura como uma flor
Presente divino, é inocente por inteiro
Transmitindo sentimentos de amor.

Sentimentos de amor vindos do coração
Irradiando paz para o nosso bem viver
Despertando-nos plena contemplação
Porque é a face de Deus a nos bendizer.

O sorriso de uma criança vem da alma
Por isso nos emociona com sua confiança
Sensibilidade e docilidade, nos acalma.
Como é cristalino o sorriso de uma criança!

Elias Akhenaton

sábado, 22 de outubro de 2016

terça-feira, 18 de outubro de 2016

As Rosas



Os habitantes daquela terra não sabiam o que eram rosas. Um dia, apareceu lá um peregrino que lhes falou com tanto entusiasmo das rosas, que todos ficaram com imenso desejo de as conhecer.

O peregrino regressou à sua terra e voltou trazendo rosas. Porém, como o caminho era longo, as rosas murcharam e o vento levou as suas pétalas. O peregrino regressou de novo à sua terra para cortar rosas do seu jardim. Meteu-as num vaso com água para não murcharem e pôs-se de novo a caminho. Mas o calor era tanto que as rosas acabaram por murchar. Ninguém quis acreditar que aquilo eram rosas e abandonaram-no.

O peregrino decidiu regressar de novo à sua terra, mas desta vez trouxe sementes. Afirmou-lhes que dentro delas estavam escondidas rosas. Também não quiseram acreditar.

Uma criança, porém, escutou o peregrino e aceitou o seu convite de semear essas sementes no seu jardim.

No final disse à criança:

— Eu vou partir. Mas tu tendes paciência e espera. Na Primavera ficarás a conhecer a beleza das rosas.

Tudo tem o seu tempo. Assim como a criança, plantemos sempre as boas sementes para que possamos apreciar em uma nova estação a exuberante beleza das rosas.


Autor desconhecido

domingo, 16 de outubro de 2016

Jogo da Memória Verbos



Aprenda e divirta-se com esse jogo da memória que tem como tema, “verbos”.

clique na imagem para jogar.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016



12 de outubro – Dia de festejarmos juntos!


Nessa mesma data, no ano de 2009, nasceu “O Manancialzinho”; blog de evangelização espírita com a missão de complementar, junto às aulinhas das casas espíritas, o estudo da Doutrina espírita e a vivência do evangelho de Jesus exclusivamente voltado às crianças e adolescentes.

Por isso mesmo, não poderia deixar de expressar a minha imensa alegria e gratidão a Deus, o Nosso Pai, a Jesus, o Nosso Mestre e a os nossos leitores, em especial às crianças pelo dia dedicado a elas.

Vamos então festejar juntos por mais um feliz aniversário e um magnífico dia das crianças, cheio de paz e alegrias para todos vocês!

Um grande abraço fraterno!

Carlos Pereira – O Manancialzinho